Resenha: O Fim de Todos Nós

Uma distopia sobre o fim da humanidade

Sinopse

A ilha de Kaelyn foi sitiada e ninguém pode entrar nem sair: um vírus letal e não identificado se espalha entre os habitantes. A quarentena imposta pelo governo dificulta as pesquisas em busca da cura, suprimentos e remédios não chegam em quantidade suficiente e quem ainda não foi infectado precisa lutar por água, energia e alimento.

Nem todos, porém, assistem impassíveis ao colapso da ilha. Kaelyn é uma dessas pessoas. Enquanto o vírus leva seus amigos e familiares, ela insiste em acreditar que haverá uma salvação. Caso contrário, o que será dela e de todos?

Resenha

O Fim de Todos Nós” é o primeiro livro da trilogia Fallen Word da autora Megan Crewe. Nele a personagem Kaylen uma garota de apenas 16 anos tem que lidar com um vírus devastador em sua ilha.

O diferencial do livro é que ele é contado por meio de cartas que Kaylen planeja enviar para seu melhor amigo que foi estudar fora da ilha. E isso realmente é explorado de forma muito inteligente. Há momentos em que a personagem para de escrever no meio de uma frase ou escreve coisas desconexas, isso só deixa o leitor com mais curiosidade e agoniado por ter um ponto de vista tão limitado.

A personagem Kaylen tem uma personalidade muito interessante, e que deveria ser mais explorada pela autora, assim como questões sociais ótimas que ela traz como preconceito e homossexualidade, que são abordadas, mas não profundamente.

Embora o livro seja um Young Adult a autora não cai muito nos clichês do gênero. O romance por exemplo não é melodramático, o que é ótimo, mas chega a ser até pratico demais para dois personagens adolescentes, falta emoção no relacionamento.

Quanto ao vírus letal, é muito interessante ver como ele funciona, em algumas partes chega a lembrar o filme “Contágio” de Steven Soderbergh. O diferencial na verdade é uma das fases da contaminação onde as pessoas passam a ter alucinações e perder a suas inibições sociais.

A premissa disso é bastante interessante, mas novamente, a autora não vai a fundo. Quando vemos isso acontecendo os personagens não se tornam extremamente inconvenientes ou revelam seus mais profundos pensamentos como a premissa promete.

A narrativa do livro é ótima e só perde pontos por ser um pouco monótona. A leitura do livro é bem rápida, flui muito bem. O final fica em aberto para as continuações e o último capítulo deixa um ótimo gancho para o segundo livro, que infelizmente ainda não foi traduzido.

O Fim de Todos Nós” é um livro agradável de se ler, tem uma boa história, bons personagens questões interessantes e perde apenas por ser superficial e não aproveitar todo o potencial que a história tem para oferecer.

Deixe uma resposta